domingo, 15 de janeiro de 2017

A procura de mim

Me perdi no caminho.
Ansiosamente olho ao redor,  assustada... busco por mim no meio do turbilhão de emoções que invade meu coração contrito e amargurado.
 Sinto medo do futuro que me espera.
A luta travada entre sentimentos diversos me coloca entre a razão e o porquê de tanta dor e mágoa
Meu coração dói.
Sinto-me aprisionada em companhia do meu próprio eu sedenta de liberdade e perdão.
Quisera ter asas e sair voando por entre todos os desencontros e desilusões,  buscar ainda viva a minha história que se perdeu sem ao menos perguntar-me se assim eu queria.
É preciso resgatar-me dentro de outras historias vivadas fora de ordem, antes que a morte me alcance e tudo se perca no infinito de todas as coisas.

sábado, 14 de janeiro de 2017

A fuga

Bem não refeita do primeiro enfrentamento imposto pelo revés da ordem natural das coisas, eis que surge em um horizonte não muito distante á vista, uma nova “ameaça” de aprisionamento.

Com o corte das asas, ficou presa ao chão e nessa mesma paisagem, ficava pintando uma possibilidade de fuga já sentido os seus pés suspensos no ar e asas a bater.

E nesse impasse entre o certo e errado, razão e emoção vivia buscando uma passagem entre a sua revolta e indignação.
Ensaiava um voo baixo preparando-se para invadir as nuvens independentes do tempo e gozando todas as regalias que tivesse por direito.

Corajosamente torcia e esperava até que....a nova ameaça trouxe a tona o medo de um futuro obscurecido pelo peso da âncora em seus pés.
Continua lá... Esperando e olhando a paisagem sonhando ainda com a sua liberdade.

quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Poderia ser diferente?

 Poderia ser diferente?
Atravessamos um deserto correndo em busca de nada...
Nadamos um mar inteiro e morremos afogadas na areia da praia...
Voamos alto sempre alto e caímos no abismo da invisibilidade quando a velhice chega...
Então:
E o deserto já se faz maior do que antes...
O mar já se faz mais cheio do que na hora...
O voo já se faz difícil pelo peso dos anos e dos conflitos enclausurados na alma...

Pelos amores e afagos bem queridos e a tolice em pensar que poderia ser diferente.