A procura de mim

Me perdi no caminho.
Ansiosamente olho ao redor,  assustada... busco por mim no meio do turbilhão de emoções que invade meu coração contrito e amargurado.
 Sinto medo do futuro que me espera.
A luta travada entre sentimentos diversos me coloca entre a razão e o porquê de tanta dor e mágoa
Meu coração dói.
Sinto-me aprisionada em companhia do meu próprio eu sedenta de liberdade e perdão.
Quisera ter asas e sair voando por entre todos os desencontros e desilusões,  buscar ainda viva a minha história que se perdeu sem ao menos perguntar-me se assim eu queria.
É preciso resgatar-me dentro de outras historias vivadas fora de ordem, antes que a morte me alcance e tudo se perca no infinito de todas as coisas.

A fuga

Bem não refeita do primeiro enfrentamento imposto pelo revés da ordem natural das coisas, eis que surge em um horizonte não muito distante á vista, uma nova “ameaça” de aprisionamento.

Com o corte das asas, ficou presa ao chão e nessa mesma paisagem, ficava pintando uma possibilidade de fuga já sentido os seus pés suspensos no ar e asas a bater.

E nesse impasse entre o certo e errado, razão e emoção vivia buscando uma passagem entre a sua revolta e indignação.
Ensaiava um voo baixo preparando-se para invadir as nuvens independentes do tempo e gozando todas as regalias que tivesse por direito.

Corajosamente torcia e esperava até que....a nova ameaça trouxe a tona o medo de um futuro obscurecido pelo peso da âncora em seus pés.
Continua lá... Esperando e olhando a paisagem sonhando ainda com a sua liberdade.

Poderia ser diferente?

 Poderia ser diferente?
Atravessamos um deserto correndo em busca de nada...
Nadamos um mar inteiro e morremos afogadas na areia da praia...
Voamos alto sempre alto e caímos no abismo da invisibilidade quando a velhice chega...
Então:
E o deserto já se faz maior do que antes...
O mar já se faz mais cheio do que na hora...
O voo já se faz difícil pelo peso dos anos e dos conflitos enclausurados na alma...

Pelos amores e afagos bem queridos e a tolice em pensar que poderia ser diferente.

Amigas acima dos cinquenta...

Eu nunca trocaria meus amigos surpreendentes, minha vida maravilhosa, minha amada família por menos cabelo branco ou uma barriga mais lisa.  Enquanto fui envelhecendo tornei-me mais amável para mim e menos crítico de mim mesmo.  Eu me tornei meu próprio amigo ... 

Eu não me censuro por comer biscoito extra, ou por não fazer a minha cama, ou pela compra de algo bobo que eu não precisava.
Eu tenho o direito de ser desarrumado, de ser extravagante.

Vi muitos amigos queridos deixarem este mundo cedo demais, antes de compreenderem a grande liberdade que vem com o envelhecimento.

Quem vai me censurar se resolvo ficar lendo ou jogar no computador at
é as quatro horas e dormir até meio-dia?  Eu dançarei ao som daqueles sucessos maravilhosos dos anos 60 & 70, e se eu, ao mesmo tempo,  desejar chorar por um amor perdido ...  Eu vou.

Se eu quiser, vou andar na praia em um short excessivamente esticado sobre um corpo decadente e mergulhar nas ondas com abandono, apesar dos olhares penalizados dos outros no jet set.

Eles tamb
ém vão envelhecer.
Eu sei que sou
às vezes esquecido, mas há algumas coisas na vida que devem ser esquecidas. Eu me recordo das coisas importantes.

Claro, ao longo dos anos meu cora
ção foi quebrado.  Como não pode seu coração não se quebrar quando você perde um ente querido, ou quando uma criança sofre ou mesmo quando algum amado animal de estimação é atropelado por um carro?
Mas cora
ções partidos são os que nos dão força, compreensão e compaixão.  Um coração que nunca sofreu é imaculado e estéril e nunca conhecerá a alegria de ser imperfeito.
Sou abençoado por ter vivido o suficiente para ter meus cabelos grisalhos e ter os risos da juventude  gravados para sempre em sulcos profundos em meu rosto.
Muitos nunca riram, muitos morreram antes de seus cabelos virarem prata.

Conforme voc
ê envelhece, é mais fácil ser positivo.  Você se preocupa menos com o que os outros pensam.  Eu não me questiono mais.
Eu ganhei o direito de estar errado.

Assim, para responder sua pergunta, eu gosto de ser velho.
Eu gosto da pessoa que me tornei. N
ão vou viver para sempre, mas enquanto ainda estou aqui, não vou perder tempo lamentando o que poderia ter sido, ou me preocupar com o que será.
E, se me apetecer, vou comer sobremesa todos os dias.
Far
á bem para sua cabeça.
fonte:http://boaspraticasfarmaceuticas.blogspot.com

O enfrentamento

 Para começar bem o novo ano.
Enfrente
Enfrente seus medos, suas loucuras, enfrente sua finitude.
Todas passarão por isto.
Enfrente as marcas no seu rosto, seu corpo em desalinho, seu cabelo afinando, sua pálpebra caída
-Todas passarão por isto.
Enfrente a menopausa, os calores, a insônia, a depressão Todas passarão por isto.
Enfrente sua idade, o preconceito, o desemprego
-Todas passarão por isto.
Enfrente a angústia, a solidão, o desafeto
-Todas passarão por isto.
Enfrente o diagnóstico incerto, o imponderável,
o rosto do médico
-Todas passarão por isto.
Enfrente o espelho e acima de tudo enfrente você
e por favor, de frente!

Ria muito da vida, mas ria de gargalhar, mergulhe na maturidade feliz, há tantas possibilidades para se viver então viva como se não houvesse amanhã.
Ande descalça, mude de estilo, corte o cabelo, mude a cor
do esmalte e passe batom.
Dê uma banana para quem não te entende.
Esta é a melhor fase da vida, portanto diga a ela para se apresentar que você irá  fotografá-la  em seu melhor ângulo porque um dia você dirá a vida que valeu a pena chegar até aqui, seja 40, 50, 60, 70...
Quer saber?
Agora é que a vida começa, enfrente-a...
Você merece.
Desconheço o autor

Buscando minhas raízes.